Category Archives: Carros e Motos

Falamos tudo sobre carros e motos.

Como acionar o seguro DPVAT após um acidente?

Você sabe para que serve e como acionar o Seguro DPVAT? Conhecer essas informações é de suma importância para todo motorista brasileiro. O problema é que muitos deles não se interessam sobre o assunto até que precisam usar esse tipo de serviço.

Neste post, iremos apresentar as principais informações sobre esse tipo de seguro e ainda explicar com detalhes tudo que você precisa fazer para acioná-lo caso necessite.

Ao terminar a leitura, todas as suas dúvidas relacionadas a este seguro serão esclarecidas. Saiba mais:

como acionar seguro dpvat

O que é o seguro DPVAT?

A adesão ao seguro DPVAT é compulsória a todos os proprietários de veículos do país, que devem efetuar o seu pagamento anualmente juntamente com o IPVA. De maneira geral, ele oferece cobertura a qualquer dano pessoal causado por veículos automotores de via terrestre.

A inadimplência do pagamento desse seguro, pode ocasionar em problemas com as fiscalização para o motorista. Afinal, quando o veículo não está devidamente licenciado, podem ser aplicadas sanções que variam desde multas até o recolhimento do mesmo.

Quem tem direito a receber a indenização do seguro?

Essa é uma das principais dúvidas relacionadas a esse tipo de seguro. De modo geral, qualquer vítima de acidentes automotores tem direito a receber a devida indenização do seguro.

Nesses casos, tanto o motorista quanto o passageiro poderão ter acesso a esse tipo de indenização, independente da apuração dos culpados do acidente automotor. Isto é, desde que ele seja devidamente solicitado pelos envolvidos.

É preciso destacar que, esse direito ainda é assegurado nos casos de acidentes em que o veículo não está em dias com o DPVAT ou que não foi localizado.

A cobrança do Seguro DPVAT

A cobrança do Seguro DPVAT varia de acordo com a categoria de cada veículo, ou seja, o valor da taxa irá depender se o motorista tem carro de passeio, moto, caminhão ou ônibus.

Felizmente, devido a redução dos acidentes nas estradas brasileiras, o valor do DPVAT diminuiu consideravelmente em 2018. Hoje, ele chega a ser de R$41,40 para os automóveis e de R$180,00 para as motos.

O pagamento desse tipo de seguro é obrigatório para todos os motoristas, sobretudo porque ele é uma forma de assegurar a indenização de todas as vítimas de acidentes com veículos.

Cobertura do seguro DPVAT

O seguro DPVAT oferece a cobertura de indenizações de acidentes que causaram a morte, invalidez permanente, total ou parcial, e todas as despesas de atendimento médico-hospitalar e suplementares, que envolvem a vítima.

O artigo 3º da Lei nº 6.194 que regula este seguro, estabelece valores para três tipos de coberturas diferenciadas. A saber:

  • Em caso de morte o valor da indenização é de R$ 13.500,00 (treze mil e quinhentos reais)
  • Em caso de invalidez permanente o valor é de até  R$ 13.500,00 (treze mil e quinhentos reais)
  • Em caso de despesas de assistência médica e suplementares, devidamente comprovadas, o valor da cobertura é de até R$ 2.700,00 (dois mil e setecentos reais) sendo pagos como reembolso à vítima

Como acionar o Seguro DPVAT

Tanto a vítima quanto o beneficiário podem acionar o Seguro DPVAT para receber a indenização. Mas atenção! Esse processo precisa ser realizado dentro do prazo de três anos, contados a partir da data do acidente. Caso contrário, os envolvidos no mesmo perdem esse direito.

Para acionar o seguro é preciso se dirigir a um dos pontos indicados no próprio site do DPVAT. Nele, também podem ser encontrados os documentos necessários para dar entrada na indenização, que geralmente são:

  • Boletim de ocorrência policial
  • Autorização do pagamento do Seguro DPVAT
  • Documentação pessoal da vítima ou do beneficiário

Após cumprir todas as etapas indicadas no site, é possível acompanhar a solicitação de indenização por meio do mesmo site ou pelo SAC. O valor da indenização é liberado após 30 dias úteis, contados a partir da data de entrada da solicitação.

Ao longo do post, você pode obter mais informações sobre o seguro DPVAT e principalmente quais os procedimentos necessários para acioná-lo logo após um acidente.

Por isso, lembre-se que caso você sofra algum tipo de acidente no trânsito, dirigindo ou não, tem o direito de ativar esse seguro tão importante.

TABELA FIPE CARROS: Como é Definido o Valor ?

A Tabela Fipe carros é um dos principais indicativos de valores de mercado dos veículos. Trata-se de um instrumento para pesquisar quanto vale um carro em determinado mês e ano.

Muitas pessoas, no entanto, desconhecem como são definidos os valores dos veículos que circulam em território nacional. Para você ficar por dentro dessa informação, fomos pesquisar como Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas define esses valores da Tabela Fipe carros.

tabela fipe carros valor

Valores definidos pela Tabela Fipe carros

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – responsável por atualizar mensalmente os valores da Tabela Fipe carros – usa de algumas metodologias que permitem chegar ao preço médio mais aproximado do valor de veículo novo ou usado no mercado.

Em resumo, o valor é definido segundo os seguintes levantamentos:

 

  • A Fundação conta com uma equipe de mais de 40 profissionais altamente especializados na função, que realizam o trabalho.

 

  • O trabalho de levantamento de dados é realizado, todos os meses, em, pelo menos, 24 estados brasileiros.

 

  • O 1º passo, geralmente, é o “Levantamento de Dados” para realizar a Tabela Fipe carros. A equipe de profissionais faz cotações de veículos novos e usados.

Todos os meses são realizadas mais de 125 mil cotações, nos estados que entram na pesquisa. São consultadas lojas, concessionárias, anúncios, consumidores, montadoras, revistas especializadas, entre outras fontes.

 

  • Tendo esses dados em mãos, os profissionais realizam o processo conhecido por “Descarte de Valores. Nessa fase, são desconsiderados da pesquisa, para a Tabela Fipe carros, os valores com muita dissonância em relação a maioria deles – ou seja, preços muito acima ou abaixo.

 

  • Descartando-se os valores discrepantes do levantamento de dados, é calculada uma média de valor para cada veículo que configura na Tabela Fipe carros.

 

  • Além da média, os profissionais fazem alguns ajustes nos valores obtidos. Geralmente, leva-se em conta as variações encontradas pela diferenciação dos estados pesquisados, índice de inflação e flutuações do próprio mercado de veículos.

 

  • Normalmente, esses ajustes são realizados subtraindo um percentual de cerca de 2 a 3% do valor médio calculado. Esses percentuais levam em conta, também, o que é perdido, naturalmente, durante o processo de compra e venda de um veículo.

Assim, a Tabela Fipe carros apresenta o valor efetivo de mercado dos veículos da lista.

 

Utilizando a Tabela Fipe carros

Não há nenhuma lei que obrigue que qualquer transação seja feita em cima dos valores da Tabela Fipe carros. Mesmo assim, como já mencionado, ela se trata de um dos indicadores mais fiéis sobre o custo de um auto no mercado.

Assim, veja algumas situações onde os dados da Tabela Fipe carros são levados em consideração:

 

Índice de preços para carros novos e usados

A Tabela Fipe carros, como já mencionamos, é uma das formas mais precisas (ou mesmo justas) para determinar o valor de mercado de um auto. Assim, ela deve ser consultada antes de realização de qualquer transação – permitindo que nenhuma das partes da negociação saia perdendo.

Isso serve tanto para compra e venda realizada diretamente entre consumidores, como negociações envolvendo empresas, como lojas e concessionárias.

Aliás, se você tem concessionária ou loja que trabalha com veículos novos ou usados, é interessante que fixe preços com base na Tabela Fipe carros e informe isso aos possíveis compradores ou pessoas que vendem carros para estabelecimentos. Como a Tabela é bastante confiável, a chance de o consumidor optar pela sua concessionária ou loja para fazer um negócio, certamente, será maior – em relação aos comerciantes que ignoram a Tabela Fipe carros.

 

Mede a depreciação de autos

Caso você queira saber o quanto o seu veículo usado teve de depreciação no mercado com o passar dos meses, consultar a Tabela Fipe carros é a melhor forma de saber sobre isso. Com essas informações, você saberá melhor se continua optando pelo modelo do carro que tem atualmente, ou escolhe outro que apresente menos depreciação com a passagem do tempo.

 

Base para o valor do IPVA

Como você deve saber o IPVA (Imposto sobre a propriedade de veículos automotores) é cobrado em todo começo de ano. E consultando a Tabela Fipe carros, você consegue ter uma ideia de quanto pagará por esse imposto.

Basta consultar o quanto vale o seu veículo, atualmente, e calcular o índice em cima do preço total – que será valor do seu IPVA.

Vale saber que cada estado cobra um índice diferente em cima do valor do auto. Procure no Detran (Departamento de Trânsito) para saber é o percentual que a sua região costuma praticar em relação ao IPVA.

 

Indenizações no caso de sinistros

Muitas seguradoras colocam uma cláusula em contrato que os valores de indenização ao segurado serão feitas de acordo com os dados da Tabela Fipe carros. Isso é uma vantagem para o assegurado – procure saber se a seguradora usa a Fipe e dê preferência para assegurar o seu auto por essas empresas.

Indenizar o cliente no caso de sinistros com base na Tabela Fipe evita transtornos, como seguradoras que calculam valores abaixo do mercado para carros asseguradas – prejudicando o consumidor.

Rastreador com seguro auto é vantajoso para o bolso?

rastreador com seguro

A decisão de instalar um rastreador com seguro auto envolve uma série de dúvidas. As vantagens e eventuais desvantagens nem sempre são claras para a maioria dos proprietários de automóveis com alguma espécie de preocupação com seu veículo. E com bom nível de responsabilidade.

Em tempos de insegurança em praticamente todas as áreas aliados à falta de manutenção das vias públicas, qualquer fator que aumente de fato a segurança é muito bem-vindo. Além do mais, as condições tecnológicas dos rastreadores avançam constantemente, o que favorece cada vez mais a sensação de segurança dos proprietários.

Antes, você gostaria de saber como funciona o rastreador veicular? Vamos lá!

Mecanismo dos rastreadores

Estamos falando de vanguardismo de ponta da área de Tecnologia da Informação. Em análise mais profunda, trata-se do conceito IoT – Internet das Coisas, a partir da qual objetos com as mais diversas funções estão interligados para dispor de informações úteis às sociedades.

Há dois sistemas de rastreamento. Em ambos, um dispositivo eletrônico é ocultado no veículo e emite sinais a todo instante que são monitorados pela central de observação da empresa responsável:

  • Radiofrequência: antenas apostas em diversas regiões captam sinais do dispositivo do veículo e os decodificam. Assim, os interpretam como localização geográfica
  • Satélites: pouco mais de três dezenas de satélites trafegam pela órbita de maneira que pelo menos quatro deles estejam sempre direcionados para o planeta. Desta forma, criam uma espécie de malha de ondas. Os sinais do dispositivo instalado no carro são também captados interpretados pelo conhecido GPS

Como pode perceber, instalação pura e simples de rastreador no veículo já é fator de segurança significativa. Em situação de furto ou roubo, a central é acionada e localiza o carro em pouquíssimo tempo.

Rastreador com seguro auto é melhor?

Sim, rastreador com seguro auto é mais vantajoso para seu bolso. Por quê? a própria ideia em si de rastreamento de veículo define a resposta. Trata-se de dispositivo de localização, ou seja, de segurança parcial e não total, pois não evita furto ou roubo.

Desta maneira, há possibilidade de o carro furtado/roubado ser localizado, mas este pode ter sido vítima de avarias sérias, peças podem ter sido retiradas, pode apresentar amassamento na lataria etc.

Então, qual é a vantagem do rastreador com seguro auto?

Como já comentamos em textos anteriores, a operadora de seguro trabalha com a ideia de minimização de riscos. Quanto menos riscos o segurado oferecer, menor será o valor mensal do veículo. A seguradora avalia o perfil do proprietário por todos os lados possíveis.

E, quando a gente diz todos, quer dizer todos mesmo: idade, quantidade de multas em certo período, trajeto mais usado na semana e até mesmo redes sociais e estado civil (estudos mostram que pessoas casadas se obrigam a ser mais responsáveis; portanto, cuidam melhor de seus veículos e dirigem mais prudência) etc.

E, principalmente, se o veículo dispõe de sistema de rastreamento.

Ou seja, automóveis furtados/roubados que não tenham rastreador instalado têm muito menos chance de ser encontrados. O inverso acontece com veículos instrumentalizados com o dispositivo de localização.

Então, a seguradora dispõe de planos mais vantajosos, com descontos consideráveis e outras facilidades quando o veículo tem rastreador instalado.

Portanto, rastreador com seguro auto é considerado mais vantajoso para seu bolso.

Tem outras dúvidas? Outras perguntas? Envie pra nossas equipes.

Consulta IPVA: Você sabe como funciona?

Você sabe como fazer consulta IPVA? Ter acesso a esse valor é muito mais fácil do que você possa estar pensando.

Antes de orientarmos como fazer a consulta IPVA, vamos esclarecer sobre o que significa essa conta.

O IPVA (Propriedade de Veículos Automotores,) se tata de um tipo de imposto que deve ser pago anualmente pelos donos de automotores. É uma taxa importante de ser paga.

O não pagamento do IPVA pode resultar em transtornos para o dono do automotor, como ter o nome colocado em dívida ativa e impossibilitar de fazer o licenciamento do veículo, além de correr o risco de ter o automotor apreendido.

Consulta IPVA: passo a passo para você ficar por dentro desse imposto

consulta IPVA

Sabia que você pode consultar o IPVA do seu automotor pela internet? Bem mais simples do que era há anos atrás, quando o dono do veículo tinha que comparecer pessoalmente do Detran (Departamento de Trânsito) do seu estado – se deslocando e enfrentando filas para ser atendido.

O primeiro passo para você fazer a consulta IPVA do seu automotor é entrar no site do Detran do estado em que seu carro está registrado. Atualmente, os sites de todos os estados do país permitem consultar o imposto online.

Como demonstração, usaremos de exemplo a consulta IPVA de automotores do estado de São Paulo. Veja os passos a seguir:

 

  • Entrar no site

 

Como mencionado, você deve acessar o site do Detran. No caso do estado de São Paulo, o site para consulta IPVA é: www.detran.sp.gov.br.

Para outros estados, basta mudar a sigla depois da palavra “detran”.

 

  • Entrar no link do IPVA

 

Ao entrar no site do Detran/SP, você irá visualizar muitas opções para consulta. Vá na opção “Veículos – débitos, restrições e vistorias”.

O link fica na primeira lista de opções para consultas diversas, ao lado da opção “Consulta de pontos da CNH”.

 

  • Continuar a navegação pelo site

 

Ao entrar na página de “Veículos – débitos, restrições e vistorias”, você irá se deparar com duas opções para clicar. Para consulta IPVA, você deverá entrar na opção “Seu veículo – débitos – restrições e vistorias”.

 

  • Fazer a consulta

 

Entrando na página “Seu veículo – débitos – restrições e vistorias”, você terá acesso a tudo que pode ser consultado através dessa tela. A consulta IPVA é uma dessas opções.

 

  • Informar os dados do veículo

 

Nessa página, você completará os campos que pedem o CPF e o código do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores). O número do Renavam consta na documentação do seu automotor.

 

  • Consulta IPVA

 

Ao dar ok, depois de preencher corretamente os dados solicitados, você terá acesso a uma página onde constará o valor do seu IPVA. Também informará sobre IPVA de anos anteriores.

Pronto! Missão cumprida!

Como pagar o IPVA atrasado

Caso você esteja com o IPVA em aberto, providencie logo o acerto desse imposto. Como já citamos, o não pagamento dessa taxa pode lhe causar problemas.

Você fica impedido de licenciar o automotor (não podendo vendê-lo), pode ter o nome incluso na dívida ativa e ainda terá transtornos se for parado pelo polícia no trânsito – estando sujeito a apreensão do seu veículo.

Para pagar o imposto atrasado, compareça do Detran do seu estado ou faça isso pelo site. No site, é possível, além da consulta IPVA, solicitar a emissão de um boleto para acertar a dívida.

O boleto pode ser pago até o vencimento em qualquer banco ou mesmo em casas lotéricas.

Evite novos atrasos. Quem paga o IPVA em dia, além de ficar com o automotor legalizado, pode parcelar o valor desse imposto e ganhar descontos.

Já IPVA em atraso deve ser pago à vista. Algumas campanhas podem permitir o parcelamento do IPVA atrasado. Para evitar transtornos, procure pagar o imposto sempre em dia, no começo de cada ano.

Itens indispensáveis para aumentar a segurança da moto

Itens indispensáveis para aumentar a segurança da moto são buscados por consumidores que desejam proteger seus bens e procuram nesses artigos uma forma de segurança extra.

Os itens indispensáveis para aumentar a segurança da moto é uma maneira de aliar conforto e segurança no deslocamento diário nos trajetos realizados pelo motociclista.

segurança da moto

O motociclista que se preocupa com sua segurança entende a importância de adquirir os artigos que podem proporcionar mais confiança na direção da moto.

É notório que o número de acidentes fatais diminuíram em algumas cidades, mas fazer uso de artigos que possibilitam o aumento da segurança ainda é indispensável!

Os itens indispensáveis para aumentar a segurança da moto devem fazer parte da lista de prioridades do motorista consciente.

Itens de segurança para moto

  • Capacete. O capacete é um dos artigos mais lembrados e conhecidos do motorista. O uso deste artigo pode evitar graves transtornos para o motorista e, muitas vezes, evitar o óbito. O uso do capacete é item obrigatório pela legislação e funciona como cuidado básico para quem anda de moto. Na hora de adquirir um modelo é preciso estar atento aos pontos relacionados à segurança e qualidade do artigo, inclusive o selo de certificação do IMETRO. Entre os diferentes modelos disponíveis no mercado, os mais aconselháveis são os totalmente fechados ou articulados, pois proporcionam segurança e proteção para a nuca, topo da cabeça, além de toda a parte do rosto.
  • Jaqueta e roupas adequadas. Roupas apropriadas é um item relevante que deve fazer parte do dia do motociclista. Trajado com roupas adequadas, o motociclista terá proteção contra quedas e variações de tempo. Dê atenção aos modelos mais resistentes como os feitos de couro. Os itens indispensáveis para aumentar a segurança na moto estão presentes em lojas especializadas espalhadas pelo país. As peças mais recomendadas são as jaquetas que têm proteção básica nos ombros, nas costas e cotovelos. O material apresenta também proteções destacáveis para a parte dos quadris e joelhos. Esses itens devem priorizar o conforto contando com resistência, leveza e sistema que permitam a ventilação do corpo do motociclista.
  • Artigos de proteção para mãos e pés. É bem comum encontrar motociclistas dirigindo motos de chinelos ou até descalços! Os pés exigem atenção redobrada já que são uma das partes mais vulneráveis quando atingidas em acidentes. É importante o uso de um calçado apropriado para a condução da moto como, sapatos de cano longo e sem cadarços, para evitar o risco de enroscarem na corrente da moto. Os itens indispensáveis para aumentar a segurança da moto são ferramentas capazes de proporcionar um cotidiano mais tranquilo ao condutor.
  • Antena corta pipa. Este artigo, que se tornou obrigatório, auxilia com bastante eficácia a segurança do motociclista. Pode se apresentar com uma antena ou duas, contando com uma espécie de gancho na ponta que tem a finalidade de segurar a linha da pipa, protegendo assim o condutor do risco do corte por cerol ou linha chilena. Por ser uma determinação legal, o item já foi assimilado por boa parte dos motociclistas. Os itens indispensáveis para aumentar a segurança da moto devem ser usados diariamente!
  • Protetor de pernas. O artigo serve para a proteção do motociclista no momento de uma queda. A peça pode evitar que a perna do condutor fique presa abaixo do tanque de combustível.
  • Faixas refletivas. Além do uso de capacete e jaqueta, quem circula com motocicletas deve fazer uso das faixas refletivas que ficarão localizadas na cabeça, coletes e baús, permitindo maior visibilidade nas ruas e rodovias.
  • Protetor visual. A proteção dos olhos é um fator muito importante para a condução da moto. Os olhos devem estar protegidos a todo momento, pois a perda da visibilidade pode desencadear situações de risco próprio e para terceiros. É preciso que o condutor use óculos com proteção para o sol, o vento e a poeira. A escolha de um capacete que possua cobertura total do casco, com visor anti-risco que não embace é ideal.
  • Seguro da Moto: Não podemos esquecer também do seguro auto, outro item indispensável que permite ao motociclista desfrutar de uma rotina mais tranquila em seus trajetos, mesmo que ocorram situações indesejadas, como: acidentes, batidas, entre outros imprevistos. O trânsito, por si só, já oferece perigos inerentes. Por isso, cuidar da segurança nunca é demais!

Confira as dicas básicas aqui no portal do Fique de Olho no Japs, deve ser prioridade para o motociclista que deseja dirigir de maneira apropriada.